PTP acusa juízes de estarem feitos com o regime

O PTP acusa juízes e magistrados do ministério público de estarem feitos com o regime jardinsta.

O Partido Trabalhista Português (PTP) realizou ao início da tarde uma iniciativa política, junto ao Tribunal Judicial do Funchal, para chamar a atenção para os privilégios dos juízes e magistrados do ministério público. Em declarações aos jornalistas o deputado eleito pelo PTP José Manuel Coelho acusou os juízes e magistrados do ministério público de “roubarem o dinheiro dos contribuintes”. “Os senhores juízes e os magistrados do ministério público, aqui na Madeira, não investigam e ganham uma pipa de massa do dinheiro que os contribuintes pagam”, frisou, acrescentando que os juízes apenas julgam quem denuncia a corrupção como “os jornalistas, os editores do Quinzenário “Garajau”, as pessoas da oposição e os democratas que se opõem à roubalheira do regime de Alberto João Jardim”.

O líder do Partido Trabalhista enumerou alguns dos privilégios que os juízes têm e com os quais não concorda.

Esta canalha fascista tem grandes privilégios, como o uso e porte de armas que nenhum cidadão pode ter, mas os juízes têm. Para além disso, os juízes e magistrados do ministério público têm direito a viajar para o Continente com as suas famílias e amantes com viagens pagas pelo erário público”, privilégios inadmissíveis para o deputado do PTP.

José Manuel Coelho alertou ainda para o facto das magistraturas fascistas saídas do 24 de Abril “continuarem a perseguir os democratas de Portugal e daqui da ilha que combatem os ladrões que andam no sistema jardinista”, advertiu, mencionando que “muitos juízes comportam-se como os padres da Inquisição e andam em cima daqueles que denunciam a corrupção para os condenar”.

 [twitter style=”vertical” float=”left”]

[fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest