Bem-te-quero e malmequeres‏

Também gosto…

daquelas noites em que a praia se enche da luz da lua
…das camas amassadas pela paixão
…das folhas poeticamente coloridas que preenchem o Outono
…de olhares que não se esquivam
…de apertos de mão com personalidade
…de beijos que deixam saudades, e vontade de mais beijos
…de corpos que se confundem na sensualidade
…de gargalhadas honestas
…de pessoas frontais, sinceras, honradas e não acomodadas
…do verde, e do azul, e do branco
…de jantares com velas e conversas murmuradas
…de promessas soletradas nas entrelinhas
…de gente com (l)atitude
…do romantismo de Veneza, da energia de NY, da paz do Inle e da distância do Atacama
…de gatos aconchegados no meu colo
…do cheiro a vento nos lençóis
…de chuvas torrenciais e de trovoadas relampejantes
…da ilha do Fogo
…das lagoas dos Açores
…da luz de Lisboa
…de corpos despidos de preconceitos e inibições
…de lareiras acesas em noites frias e compridas
…de horizontes (e) desconhecidos
…de peles morenas
…de desassossegos
…do mar, da serra e da Terra
…do silêncio e da solidão premeditada
…da palavra amanhã, e da palavra sim
…de todas as palavras que cabem em todos os livros e de todas as outras que nascem em mim

António Cruz escreve de acordo com a antiga ortografia

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest