Dificuldades financeiras não impedem cumprimento da missão

Guarda Nacional Republicana (GNR) garante continuidade das operações de fiscalização.

O Comando Territorial da Guarda Nacional Republicana (GNR) conta, na Região Autónoma da Madeira, com 192 efetivos. Um número que, de acordo com o comandante que cessa funções, Tenente-Coronel Gouveia Mendes, é o suficiente para assegurar as operações de fiscalização necessárias.

Hoje à tarde, após a apresentação de cumprimentos de despedida ao líder do Governo Regional, Alberto João Jardim, o oficial destacou a colaboração que existiu com as entidades regionais, sublinhando que, num contexto de dificuldades financeiras, conseguiram realizar as tarefas prioritárias.

O Tenente-Coronel Gouveia Mendes lembrou que, no âmbito fiscal, nestes dois anos de missão, mantiveram o número de operações STOP, “aumentando de alguma forma os resultados obtidos nesta área”, o número de apreensões em termos de volume de pescado e o combate à fraude.

Na Região Autónoma da Madeira, conforme explicou, há um número de ocorrências em tudo semelhante ao do Continente. E por cá todos os meios, inclusive a lanche de vigilância que está no Funchal, estão operacionais.

O novo Comandante da Guarda Nacional Republicana, Tenente-Coronel José Paulo Oliveira Saraiva Soares, referiu, por sua vez, que o objetivo é a manutenção das atividades. “Não há prioridades nenhumas. Há a continuidade daquilo que tem sido feito até agora, de acordo com aquilo que são as realidades da Madeira”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fblike]

Pin It on Pinterest