CDS pode travar plano de resgate

Populares não vão aprovar documento que lese os direitos da Madeira.

O Conselho Consultivo do CDS/PP Madeira reuniu, hoje à tarde, para estudar e apresentar soluções para a crise social e económica.

Ricardo Vieira, presidente do Conselho Consultivo, considerou que a Região Autónoma da Madeira está especialmente fragilizada, tendo em conta o plano de assistência financeira. E, neste contexto, deixou uma recomendação aos orgãos nacionais do partido.

«Muito mais do que o sector público, serão os madeirenses no seu dia-a-dia que vão sofrer gravamente com este plano e, por isso, o Conselho Consultivo recomenda aos orgãos do partido que usem de todos os meios para não deixar que este plano passe, na medida em que ofenda direitos consagrados».

O popular não tem dúvidas que o plano de resgate, caso não respeite a Constituição da República ou o Estatuto Administrativo Regional, vai ficar sem aplicação, exigindo, posteriormente, uma discussão mais pormenorizada e com a intervenção dos restantes partidos da oposição.

Ricardo Vieira acrescentou mesmo que existem alternativas àquelas que foram apresentadas pelo Governo Regional da Madeira. «Foi pena que a “carta de intenções” não tivesse sido retirada e reformulada», disse, lembrando por exemplo «a participação da Região nas receitas das privatizações».

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest