8 1⁄2 Festa do Cinema Italiano com saldo positivo

O diretor artístico do certame, Stefano Savio, fez ontem um balanço muito positivo do evento e prometeu voltar em 2013.

Foi um domingo em cheio no Teatro Municipal Baltazar Dias para encerramento da passagem do 8 1⁄2 Festa do Cinema Italiano pelo Funchal, que ao longo de 4 dias manteve um público fiel para apreciar os 7 filmes, 3 dos quais com direito a repetição no dia seguinte, e 5 curta- metragens, numa mostra do novíssimo cinema italiano.

Depois da primeira sessão da tarde ter sido dedicada à apresentação de uma seleção de curtas-metragens que permitiu ao público madeirense tomar contacto com alguns dos talentos emergentes do meio cinematográfico italiano dos últimos tempos, seguiu- se a apresentação de Là-Bas, de Guido Lombardi, filme vencedor do Prémio Oficial da 5ª edição do 8 1⁄2 Festa do Cinema Italiano em Lisboa.

Antes e depois da exibição deste filme em que ficção e realidade se confundem, narrando o romance criminal de um rapaz dos nossos tempos, com comandos camorristas pelo meio e ataques a imigrantes africanos, o público presente na sala teve a oportunidade de ouvir e interagir com Kader Alassane, o protagonista do filme, que falou também da sua experiência enquanto emigrante africano em Itália, “sobretudo das expectativas e esperanças que todos os africanos têm quando chegam à Europa e das frustrações e privações que acabam por passam e que, face à necessidade de sobrevivência, acabam por cair em caminhos que não desejavam e que o filme retrata tão bem”, revelando ainda que “sendo o tema do filme um tema difícil, acabou por ficar surpreendido pelo sucesso que o mesmo teve e os prémios que recebeu a nível internacional”.

Pelas 21h30 foi a vez da exibição de Ruggine, de Daniele Gaglianone, baseado no romance homónimo de Stefano Massaron, após o qual foi servido um cocktail a todos os presentes para celebrar o encerramento do 8 1⁄2 Festa do Cinema Italiano no Funchal.

Para Stefano Savio, diretor artístico do certame, o balanço de mais esta passagem pelo Funchal é positivo apesar de “este ano termos trazido uma programação ainda mais complexa do que no ano passado, trazendo títulos que não são de fácil acesso mas a recepção foi muito boa e por isso estamos contentes”. Referindo que “é também nosso compromisso esforçarmo-nos para divulgar aquilo que achamos que é bom no cinema italiano e alargá-lo a públicos diferentes do país e mostrar uma parte da nossa cultura”, adiantando que “para isso precisamos deste tipo de eventos para continuarmos o nosso caminho e se não forem este tipo de projetos é difícil ter acesso a estas propostas cinéfilas e a estes realizadores e acho que o público da Madeira recebeu bem a nossa proposta” .Para Stefano Savio “Portugal e Itália passam atualmente pelos mesmos problemas, por isso é interessante que o público português, e neste caso o do Funchal, aprecie como os italianos abordam esses problemas através destes filmes, através do ponto de vista destes realizadores”.

Quanto ao futuro, deixou, desde já, “a intenção de voltar novamente em 2013 para mais uma edição do 8 1⁄2 Festa do Cinema Italiano no Funchal, onde o Festival tem sido sempre bem recebido pelo público madeirense”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest