CDU quer impedir a devolução da casa aos bancos

Edgar Silva disse que as famílias vivem uma situação aflitiva, sobretudo devido ao desemprego.

A CDU/Madeira quer que o Governo da República implemente medidas urgentes para salvaguardar o “Direito à Casa”.

Em Portugal, mas também aqui na Região Autónoma da Madeira, aumenta o número de famílias que vivem uma situação aflitiva, que correm o risco de ficar sem um bem essencial.

Na ação política, realizada hoje pela manhã no Funchal, o deputado Edgar Silva explicou que as propostas agora em debate na Assembleia ficam muito aquém das reais necessidades da população. Até porque, em muitos destes casos de endividamento, a banca e o Estado tiveram uma palavra a dizer.

“Este problema requer propostas concretas. A CDU quer impedir a devolução da habitação aos bancos, nos casos de impossibilidade conjuntural do pagamento das prestações pretendemos um período de carência até quatro anos, quer um perdão parcial da dívida sempre que o banco já tenha assegurado uma remuneração significativa e que, já depois da entrega da casa ao banco, a dívida fique saldada”.

Edgar Silva considerou ainda que a situação sócio-económica vai acentuar esta realidade, pelo que as medidas apresentadas devem ir para o terreno o mais rapidamente possível, para evitar situações de “grande desespero social”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest