Feira da Bagageira “ajuda” a contornar a crise

Venda de artigos em segunda mão serve para dar a volta à crise e ganhar alguns trocos dizem os vendedores da Feira da Bagageira.

Mais uma feira concorrida. A Feira da Bagageira que se realizou durante o dia de hoje no parque de estacionamento junto ao Jardim de Santa Luzia voltou a contar com um elevado número de participantes e de clientes.

“Estamos contentes com o tempo que está bom e as vendas não têm sido más” revelaram ao CidadeNet um grupo de adolescentes que “montaram a sua tenda” no espaço da feira para vender artigos em segunda mão, que já não usam, e com os quais podem fazer algum dinheiro. “Sempre dá para fazer uns trocos e é uma forma de contornar a crise”, refere Joana Freitas (nome fictício).

Também Pedro Sousa levou artigos de segunda mão para vender e confessou estar satisfeito com as vendas que efetuou.“Trouxe para aqui o meu carro e como tenho muitas velharias, em casa, que estão lá só a atrapalhar decidi participar nesta feira e até vendi umas coisas. E nesta altura todo o dinheiro que vier é bem vindo, assim fico com menos tralha e algum dinheiro”, declarou.

A Feira da Bagageira está aberta a qualquer vendedor que apenas com a seu automóvel e com bagageira aberta pode fazer o seu negócio. Para os que não têm carro basta arranjar um espaço vazio e expor os seus produtos. Os artigos que encontra nesta feira são diversificados, muitos são em segunda mão, e vão desde objetos antigos, quinquilharias, calçado, malas, acessórios, livros, quadros, discos, cd’s, relógios, moedas, matriculas, garrafões, vestuário, ferros de engomar, facas, copos, pratos, bijutarias, doçaria regional entre muitos outros produtos.

Esta edição da Feira da Bagageira foi promovida pelo projeto Sol da Esperança em colaboração com a Fundação Lar da Paz.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest