Bem-te-quero e malmequeres‏

ABRAÇO ERÓTICO

No desassossegado conversar
dos olhares,
encurtam-se as distâncias
encaracoladas em desejos,
sofreguidões (in)confessadas
pelas mãos que não se tocam,
pelas palavras que não se dizem…
Os corpos, esses, apenas flutuam
ao encontro um do outro,
encostando as suas vontades,
insustentando as suas loucuras,
libertando-se, ainda que sossegadamente,
das algemas que os prendem…
Depois…apenas abraço
eroticamente poético

António Cruz escreve de acordo com a antiga ortografia.

[twitter style=”vertical” float=”left”][fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest