Bem-te-quero e malmequeres‏

Manifesto Curricular

Aos políticos nacionais e aos que pelo mundo inteiro estão dependurados em cargos de invejável remuneração, de não menos invejável influência, mas nem por isso não menos bolorentos de tanto ilusório poder e minguados por tantas noites insones:

Eu sou apenas um bacharel, um reles bacharel em técnicas de Turismo, bacharelado no distante ano de 1984. Mas acho que finalmente chegou a minha hora!

Fui o primeiro exemplar do sexo masculino que, em 1982/3, vendeu Tupperwares em Portugal. Sim, fazia reuniões de chá em casa da mãe onde compareciam as tias e as colegas. O que, penso eu, desde logo me confere uma licenciatura em Relações Humanas.
Fui, durante largos anos, inquisidor da Carris e do Metro de Lisboa onde, em cenários de rua (fosse ao sol ao frio ou à chuva), recolhi respostas de milhares de pessoas para efeitos de estatística. Creio, por isso, estar habilitado a que me entreguem a pasta do INE.
Fui, durante dois anos, emigrante na República Dominicana (por opção, eu sei, vamos lá…foram mais anos sabáticos que outra coisa), pelo que exijo o Ministério dos Negócios Estrangeiros para mim!
Durante algum tempo fui servente de pedreiro em várias obras de Lisboa e Cascais. O que me permite almejar a licenciatura (porque não um MBA?) em engenharia civil!
Participei num projecto “Pão da Vila” que levava pão e outros alimentos pela manhã ao domicílio. Também em Lisboa. Pelo que reivindico para a minha pessoa o tão desejado título Honoris Causa em assistência domiciliária, ou seja, trampolim para ser ministro da Solidariedade e Segurança Social.
Ao longo de épocas, mais ou menos sucessivas, fui actor de teatro, novela, ópera, televisão, já para não falar em programas de autoria própria e apresentação a preceito. Não tenho dúvidas em que para mim está guardado um futuro Ministério da Cultura.
Tenho uma vintena de livros publicados! Dêem-me já o Ministério da (des)Educação!
De Turismo nem falo: hotelaria, agências de viagem, operadores turísticos ao longo de quase 30 anos. Venha a mim a pasta Turística, e dentífrica (porque o meu sorriso é belo e cintilante!).
Países mundo fora são mais de 50 onde já pisei. O que penso poder conferir-me o título de Papa trota-mundos, sendo colocado no Vaticano. Ou então Presidente da AG da ONU. Ou da Comichão Europeia…

Senhor relvas, senhor portas, senhor coelho, senhor branco, senhor pereira, senhora cristas e todos os restantes, de cá ou de fora, ponham-se a pau…a minha hora chegou!
(se na vossa Loja tiverem alguém que me assine os papelitos ficarei agradecido e serei o primeiro a outorgar-vos jobs para os boys e as girls no meu próximo desgoverno)

António Cruz escreve de acordo com a antiga ortografia.

[twitter style=”vertical” float=”left”] [fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest