Bem-te-quero e malmequeres‏

…dos meus poemas

Gosto dos meus poemas
em que as palavras correm desalmadas no fio da estrofe
como se lhes sobejasse espaço
ou uma qualquer fartura de liberdade…
… São os poemas em que elas se divertem à minha custa
estonteando-me com a sua irreverência poética
e esgotando-me à exaustão de as querer acompanhar…
deixando-me inerte e estilhaçado
no orgástico tropel em que me consomem

António Cruz escreve de acordo com a antiga ortografia.

[twitter style=”vertical” float=”left”][fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

 

Pin It on Pinterest