Caso vistos gold volta ao Campus de Justiça

Continua esta manhã o interrogatório aos 11 detitos no âmbito da operação dos vistos gold.

campusOs 11 detidos, no âmbito da operação dos vistos gold, continuam a ser interrogados esta manhã pelo juíz Carlos Alexandre. Ontem, depois de um dia longo de averiguações, os advogados lembraram que o processo está em segredo de justiça.

O Director Geral do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, Manuel Palos, e o Presidente do Instituto de Registo e Notariado, António Figueiredo, que, entretanto, pediu a suspensão de funções, são dois dos envolvidos. Ontem ainda foi ouvido um dos três cidadãos chineses, que são também acusados de corrupção.

Refira-se que, no âmbito desta ação, foram realizadas seis dezenas de buscas em vários pontos do país, incluindo nos ministérios da Administração Interna, da Justiça e do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia. Estas buscas destinaram-se à recolha de informação relacionada com departamentos, serviços e funcionários daqueles ministérios e não visavam membros do governo.

Nesta investigação, o Ministério Público é coadjuvado pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) da Polícia Judiciária (PJ). O inquérito, que investiga suspeitas de crimes de corrupção, tráfico de influências, peculato e branqueamento de capitais, encontra-se em segredo de justiça.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest