“É esta marca do acentuar da pobreza que o PSD deixa na Madeira”

A CDU denunciou o agravamento das desigualdades sociais e os seus impactos, aos mais diversos níveis, para as populações e para o desenvolvimento local e regional.

pcpA CDU/Madeira realizou hoje uma iniciativa política, inserida no âmbito da sua campanha “Alternativa a sério!”, actualmente em curso na Região, que visou denunciar o agravamento das desigualdades sociais e os seus impactos, aos mais diversos níveis, para as populações e para o desenvolvimento local e regional.

No concelho de Santa Cruz, Edgar Silva explicou que o PSD deixou uma “negativa herança”. Para além dos elevados níveis de desigualdade, os dados estatísticos mostram que a Madeira é a Região com as mais elevadas taxas de pobreza em Portugal.

“De 2000 para 2015, a Madeira passou dos 32% para os 51% de incidência de pobreza. É esta marca do acentuar da pobreza que o PSD deixa na Madeira. Com o Programa de Ajustamento Financeiro, aquilo que chamamos de programa de agressão ao povo, esta marca ainda mais se agravou”.

E aproveitando o processo eleitoral em curso para as eleições regionais, o dirigente comunista sublinhou que está na hora de garantir uma “alternativa capaz” de contribuir para uma inversão destes processos impostos à Região por décadas de jardinismo. Há soluções para minorar o desemprego, a pobreza, a exclusão social ou o fecho de empresas.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest