Taxa de juro manteve tendência decrescente

Segundo os últimos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de juro implícita no crédito à habitação passou de 1,059% em agosto para 1,047% em setembro, reduzindo-se 0,012 pontos percentuais (p.p.). “Nos contratos celebrados nos últimos 3 meses, a taxa de juro implícita foi 2,009%, inferior em 0,047 p.p. à observada em agosto”, salienta.

Paralelamente, no destino de financiamento Aquisição de Habitação, o mais relevante no crédito à habitação, a taxa de juro implícita no conjunto de contratos fixou-se em 1,060%, 0,012 p.p. abaixo do valor observado em agosto. “Nos contratos celebrados nos últimos 3 meses, registou uma taxa de 1,987% (2,035% em agosto)”, aponta o INE.

Por sua vez, “o valor médio da prestação vencida para o conjunto dos contratos de crédito à habitação fixou-se em 237 euros, 1euro inferior ao observado em agosto, por descida da componente juros.

“Nos contratos celebrados nos últimos 3 meses, o valor médio da prestação foi 307 euros (313 euros em agosto).

O montante de capital médio em dívida para a totalidade dos contratos de crédito à habitação, em setembro, situou-se em 51 669 euros, inferior em 58 euros ao observado no mês anterior.

Nos contratos celebrados nos últimos 3 meses, o montante médio do capital em dívida foi euros 87 176 euros (87 842 euros em agosto)”, revela o INE.

Pin It on Pinterest