Alepo: Mulheres suicidam-se para fugir a violações

Depois de ter sido denunciada a execução, sem julgamento, de mais de 80 pessoas, após a chegada das tropas de Assad, continuam a chegar de Alepo os mais diversos

relatos de quem se encontra no interior da cidade, em zonas onde os bombardeamentos ainda decorrem.

A partir de Azaz, localidade situada a norte de Alepo, Abdullah Othman, responsável do denominado Conselho Consultivo na Frente do Levante – um dos grupos rebeldes que se opõe ao regime – afirmou ao Daily Beast que nas últimas horas em Alepo “pelo menos 20 mulheres se suicidaram para evitarem ser violadas”.
A Síria está a caminho do seu sexto ano de guerra civil. Além da ameaça do autoproclamado Estado Islâmico, que tem sido o principal alvo de bombardeamentos da coligação liderada nos Estados Unidos, combatem no terreno curdos (que têm como principal adversário o Estado Islâmico mas que terão sido já bombardeados por turcos).

Em Alepo em particular, uma cidade já devastada, há tropas do regime de Assad, apoiados pela Rússia, que têm recuperado o controlo de áreas controladas por grupos rebeldes. Entre os rebeldes, haverá grupos com ligações à Al-qaeda bem como opositores de Assad.

Pin It on Pinterest