‘Indicadores da economia da Madeira são positivos’

O presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, acredita que a competitividade da Madeira só será possível com um sistema fiscal próprio, algo que está a ser estudado para ser apresentado ao nível da União Europeia e da República. “Ou o Estado assegura o financiamento das nossas áreas sociais, ou dá a oportunidade de assegurarmos a nossa sustentabilidade”, justificou.

O chefe do executivo madeirense, que falava na abertura de uma conferência sobre o Orçamento de Estado de 2017 e a “Nova Tributação do Património”, promovida por duas sociedades de advogados, recordou que a Região está “muito condicionada pelo que se passa ao nível nacional”, mas fez questão de sublinhar que já foram amortizados 1.013 milhões de euros da dívida pública regional e que, neste momento, a Madeira “não é um peso para os contribuintes”, apresentando um “rácio de dívida pública inferior ao nacional”.

O governante destacou  também as tecnologias, o registo internacional de navios, o imobiliário e o comércio, como exemplos de recuperação económica e crescimento, reforçando com números: “7,2 milhões de dormidas na hotelaria, em 2016, um aumento das receitas do Centro Internacional de Negócios que atingirá os 191 milhões de euros, no ano passado e crescimento em praticamente todos os sectores”.

Pin It on Pinterest