CMF já deu oportunidade de emprego a 200 pessoas num ano e meio

O Programa Municipal de Formação e Ocupação em Contexto de trabalho (PMFOCT) foi criado em maio de 2015, com o intuito de apoiar jovens à procura do primeiro emprego e os desempregados do Município, incluindo os de longa duração. Desenhado na forma de bolsas de formação, este visa integrar os formandos nos mais diversos departamentos camarários, em experiências reais de trabalho, que vão contribuir diretamente para a sua formação humana, cívica e académica. Em cerca de ano e meio, foram integrados 200 formandos, o que representou para a Autarquia um investimento de quase 800 mil euros, exclusivamente com verbas municipais.

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo, considera que “os nossos programas de formação são uma das grandes marcas deste primeiro mandato. Não só conseguimos ajudar duas centenas de famílias, combatendo, dentro daquelas que eram as nossas possibilidades, o flagelo do desemprego na Região, como tivemos, acima de tudo, um reconhecimento incontornável sobre a valia do projeto, da parte da sociedade civil, dos nossos serviços e dos próprios formandos, que na esmagadora maioria dos casos souberam aproveitar a oportunidade e fazer a diferença, naquele que é o trabalho da Autarquia nas mais diversas áreas.”

De 2015 para 2016, o investimento no programa quase duplicou, de 300 para cerca de 500 mil euros. O tipo de habilitações mais comum é a Licenciatura (27%), seguida do 2º Ciclo do Ensino Básico (20%) e do 12º Ano (16%). A nível etário, o escalão maioritário são os jovens entre 26 e 30 anos (24%), seguido da população acima dos 50 anos (15%). Madalena Nunes, que tem o pelouro dos Recursos Humanos na CMF, destaca que “num índice como noutro, fica bem patente a transversalidade dos programas, com a Câmara a valorizar, nos diversos casos, tanto a qualidade da formação, como a experiência adquirida. Isso reflete a nossa própria visão para a cidade e aquela que tem sido uma estratégia integrada a todos os níveis, com apostas para todas as faixas da população.” O bolseiro mais novo até hoje tinha 19 anos, o mais velho, 58 anos.

Durante este mês de janeiro, as candidaturas a novos PMOFCT já estiveram, de resto, abertas, com 48 vagas para o ano que agora começa. Na Câmara Municipal do Funchal deram entrada 302 candidaturas até ao prazo-limite, o que ilustra bem os níveis de procura e a relevância do projeto para o concelho.

Pin It on Pinterest