Concerto de Sopros com estreia de André Granjo

A ANSA/Orquestra Clássica da Madeira promove um Concerto de Sopros, no sábado, dia 28, pelas 18 horas, no Teatro Municipal Baltazar Dias.

Originais para sopros! Uma proposta ousada, inspiradora e desafiante!”, é assim que o Diretor Artístico, Norberto Gomes, retrata este concerto.

Com uma atividade eclética, André Granjo tem-se afirmado nos palcos nacionais e internacionais como diretor de orquestra com incidência para orquestras de sopros. “Nesta sua estreia com a Clássica da Madeira, temos uma proposta artística ousada e desafiante para os instrumentistas de sopro. A quantidade de obras originalmente escritas para formações maioritariamente com instrumentos de sopro e que pela sua formação menos conceptual muitas vezes é negligenciada nas programações, leva-nos a assumir com audácia e pelo segundo ano consecutivo um programa dedicado a estas “pérolas” da composição instrumental”.

Na emblemática sala do Teatro Municipal Baltazar Dias, a não perder, propostas que vão desde Beethoven, passando por Gossec e Gordon Jacob, terminando com o incontornável português do século XX, Fernando Lopes-Graça.

Deixe-se imbuir pela nossa música. Faça sua a nossa música. Esperamos por si”, fica o convite de Norberto Gomes.

De referir, os bilhetes custam entre 20€ e 5€ e estão disponíveis na bilheteira do Teatro Municipal Baltazar Dias.

PROGRAMA:

Ludwig van Beethoven (1770 – 1827) – Marsch in C-Dur, WoO 20

Étienne Nicolas Méhul (1763-1817) – Ouverture en F Pour Orchestre Militaire

Charles Simon Catel (1773 – 1830) – Ouverture

Louis-Emmanuel Jadin (1768-1853) – Symphonie pour Instruments a Vent

François Joseph Gossec (1734- 1829) – Symphonie Militaire en F

Gordon Jacob (1895 – 1984) – More Old Wine In New Bottles 

Fernando Lopes-Graça (1906 – 1994) – Divertimento para instrumentos de sopro, violoncelos, contrabaixos e percussão (1957)

* Maestro Convidado * André Granjo *

Iniciou aos sete anos de idade o estudo do clarinete na escola da Banda Filarmónica da Mamarrosa, tendo prosseguido a sua formação nos Conservatórios de Música de Aveiro e de Coimbra. É licenciado em Antropologia pela Universidade de Coimbra e mestre em Direcção de Orquestra, na variante de Orquestra de Sopros, pela Zuid-Nederlandse Hoogeschool fur Muziek de Maastricht, onde foi aluno do Maestro Jan Cober. No âmbito do seu projecto de Doutoramento desenvolveu trabalho prático de direcção no Royal Northern College of Music, com a colaboração de Mark Heron e Clark Rundell, e com Eugene Migliaro Corporon na North Texas University, onde ocupou um lugar de “Visiting Scholar” no departamento de Wind Music Studies de Março de 2009 a Novembro de 2011. Apresentou-se já como maestro convidado em Espanha, França, Holanda, Inglaterra, Colômbia, Costa Rica, Macau e E.U.A. tendo dirigido agrupamentos como a Orchestre des Jeunnes du Charantes, o Ensemble de Sopros do Royal Northern College of Music, a Banda Sinfónica da P.S.P, o Grupo de Música Contemporânea de Lisboa, a North Texas Wind Symphony, a Orquestra Clássica do Centro e a Banda Sinfónica da G.N.R. Dirigiu estreias mundiais de obras de diversos compositores portugueses como Joly Braga Santos, Frederico de Freitas, João Madureira, Álvaro Cassuto, Manuel Faria, António Vitorino d’Almeida, Luís Cardoso, Jaime Reis, entre outros, e é convidado regularmente para orientar estágios para jovens músicos tanto em Portugal como no estrangeiro. É membro do Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos de Música e Dança e membro do Conselho Consultivo do IGEB (International Society for Research and Promotion of Wind Music). É, desde Fevereiro de 2013, co-diretor da Orquestra de Sopros do Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro e instrutor do Mestrado de Direcção de Orquestra de Sopros nesta mesma instituição sendo também responsável pelas Orquestras do Conservatório de Música da JOBRA e do Conservatório de Música da Bairrada. É Diretor Artístico da Banda da União Filarmónica do Troviscal, da Orquestra de Sopros de Coimbra e da Orquestra Académica da Universidade de Coimbra.

Pin It on Pinterest