Estudo conclui que «fake news» espalharam-se com maior rapidez

O maior estudo já realizado sobre a propagação de notícias falsas na internet, publicado esta quinta-feira na revista Science, concluiu que as «fake news» espalharam-se com maior rapidez e de forma mais abrangente no Twitter, entre 2006 e 2017, do que as notícias verdadeiras.

A informação verdadeira demora seis vezes mais a alcançar 1500 pessoas do que a informação falsa. Em caso de grandes acontecimentos, como atentados e catástrofes, a informação falsa aumenta, mas são as notícias sobre política que mais sucesso fazem entre os internautas.

O estudo mostra também que são as pessoas quem partilha mais a informação errada e não os “robôs da internet”.

Pin It on Pinterest