Quinta Magnólia é um «espaço para todos os madeirenses»

A Quinta Magnólia, que foi alvo de uma profunda reabilitação de espaços desportivos e de lazer, reabriu ao público nesta quarta-feira. Na mesma ocasião, foi aberta oficialmente a exposição “Em Viagem”, um dos maiores projetos de Arte Contemporânea já realizados na Madeira.

O presidente do Governo Regional fez uma visita por todo o espaço. Na ocasião, Miguel Albuquerque apelou aos madeirenses para que ajudem na preservação, com “unhas e dentes”, da Quinta Magnólia, «deste coração da cidade», que hoje abriu as portas, após conclusão dos trabalhos de requalificação, que custaram 2.885.00 euros. Dinheiro que, Albuquerque realçou, «é dos mais bem investidos nos últimos anos», relevando a excelência da reabilitação ali executada. Disse ainda que o espaço é para todos os madeirenses, convidando-os a visitarem o espaço.

Miguel Albuquerque sublinhou que a ideia da reabilitação passou sempre por tornar a Quinta Magnólia um espaço para as famílias, onde todas as gerações possam usufruir. Neste sentido, foi colocado na Quinta espaços com animais, para as crianças poderem usufruir desse contacto direto.

Segundo Miguel Albuquerque: «Esta foi uma obra que demorou porque foi, de facto, uma obra com grandes pormenores. São 35 mil metros quadrados. A nossa ideia foi reabilitar integralmente esta Quinta Magnólia, mantendo a sua essência e o seu perfil, desde os caminhos pedonais à reabilitação do edifício principal e dos campos de ténis e dos parques infantis. A única coisa que não foi arranjada foi a piscina. No seu lugar, foram implantados três campos de padel, porque é, de facto, uma modalidade que está em grande crescimento na Madeira».

Quanto à obra de requalificação paisagística e ambiental da ‘Quinta Magnólia’, a empreitada incluiu a requalificação de toda a quinta ao nível dos espaços exteriores e ajardinados.

Isto para além da reabilitação do edifício principal e dos recintos desportivos, nomeadamente dos campos de ténis, do campo de squash e do circuito de manutenção.

A renovação permitiu criar três campos de padel e ainda outros espaços de apoio às atividades desportivas, bem como ainda requalificar. A obra foi adjudicada por 2.885.000 euros e englobou uma área de intervenção de 35.000 metros quadrados.

De realçar, que esta quinta foi outrora sede do British Country Club, até ter sido adquirida pelo Governo Regional. Com a empreitada de reabilitação do imóvel, designadamente a recuperação da casa-mãe, poder-se-à proceder à organização de exposições temáticas, temporárias e permanentes, sendo igualmente de assinalar a criação de um restaurante ao nível do rés do chão, recuperando parte da sua função inicial.

Ainda no campo da restauração procedeu-se à recuperação do bar e respetiva esplanada, prevendo-se atribuir a sua exploração a privados mediante concurso. Adaptar-se-á ainda uma pequena casa de construção recente a residência artística ou de atelier, onde se poderão realizar workshops de eventos criativos ou de jardinagem, para o público mais jovem.

Integrada nesta empreitada consta, também, a reabilitação dos jardins e classificação das espécies, em parceria com o Jardim Botânico. A empreitada passou ainda pela reabilitação dos trilhos e roteiros pedestres para usufruto dos visitantes, reparação dos campos de ténis e na criação de três campos de padel na zona da atual piscina. Isto para além da implementação de uma área com animais, sobretudo pássaros.

  

  

  

  

  

  

 

Pin It on Pinterest