As 5 principais ameaças online que os pais devem conhecer

Cada ano letivo novo vem com um aumento dos riscos online. Isto deve-se ao facto de as crianças começarem a usar mais os dispositivos eletrónicos – tanto dentro como fora das salas de aulas. Contudo, os adultos ainda não compreendem os riscos mais comuns que os seus filhos enfrentam.

“Se tiver consciência das ameaças possíveis, pode tomar medidas para evitá-las. É por isso que os pais precisam de saber tudo sobre os perigos à espreita na Internet”, explica Daniel Markuson, o especialista em privacidade digital da NordVPN.

“Não só devem informar os seus filhos sobre os riscos, como também devem dar o exemplo quanto a como se manterem longe dos mesmos. Deve-se começar a ensinar sobre a segurança online o mais cedo possível.”

Daniel Markuson da NordVPN, apresenta uma lista dos 5 problemas mais comuns que as crianças em idade escolar encontram na Internet.

5 riscos comuns que as crianças em idade escolar enfrentam online:

Ciberbullying. O ciberbullying inclui enviar, publicar ou partilhar conteúdos negativos, prejudiciais, falsos ou malvados sobre outra pessoa. É uma forma de bullying e deve ser tratado como tal, pois pode causar embaraço e humilhação. Encoraje as crianças a falarem sobre agressores online e outras coisas que lhes causem ansiedade. Ajude-as a entender que não estão sozinhas. Além disso, documente tudo o que está a acontecer e ajude-as a denunciar os utilizadores quanto às suas ações inapropriadas online.

Problemas com privacidade. As crianças começam a usar as redes sociais muito mais cedo do que nunca. Tendem a publicar muitas informações pessoais online sem se aperceberem das consequências. Deve conversar com as crianças sobre que informações é seguro partilhar. A maioria das redes sociais ou de serviços de mensagens permitem que os seus utilizadores configurem as suas definições de privacidade. Sente-se com os seus filhos e ajuste essas definições para garantir que o perfil deles é tão seguro e privado quanto possível.

Predadores online. A internet torna fácil para os criminosos contactarem as suas vítimas sem chamarem à atenção. Podem falsificar uma personalidade ou contactá-las de forma anónima. Já as crianças sentem-se mais confortáveis online e tendem a ser mais abertas a falar com estranhos do que na vida real. É por isso que precisa de insistir para que não aceitem pedidos de amizade de desconhecidos. Fale também sobre as informações que não devem ser públicas. Informações pessoais como moradas, escolas, trabalho dos pais e outras, são muito úteis para os predadores.

Esquemas. Nada é grátis. Mas a internet apresenta várias ofertas de presentes, concursos ou lotarias por e-mail, sendo que a maioria delas são esquemas. E, por vezes, é fácil cair neles, aplicando-se isto tanto a crianças, como adultos. É por isso que, como progenitor, deve saber tudo sobre esquemas. Só quando for capaz de os detetar é que poderá ensinar as crianças. Ensine os seus filhos a terem cuidado perante ofertas que podem ser demasiado boas para serem verdade. Peça-lhes que lhe mostrem todas as mensagens ou ofertas suspeitas que receberem. Encoraje-os a falar primeiro consigo antes de comprar ou reclamar algo online.

Notícias falsas. No futuro, será ainda mais difícil distinguir as invenções da realidade. Sendo que é cada vez mais fácil e acessível falsificar imagens, todos devem estar cada vez mais conscientes das informações falsas. Além disso, muitas vezes as crianças não conseguem reconhecer conteúdos patrocinados ou anúncios pagos. É por isso que é essencial ensiná-los quanto à verificação de factos e fontes. Mostre os sites mais confiáveis, mas fale também sobre como avaliar conteúdos online de forma crítica. Explique como a publicidade funciona e porque é que os influenciadores patrocinam produtos específicos.

Pin It on Pinterest