Funchal não activa Plano Municipal de Emergência

A Comissão Municipal de Proteção Civil do Funchal reuniu-se na manhã de hoje, quinta-feira, e decidiu não activar o Plano Municipal de Emergência. A convocatória da autarquia surgiu na sequência da declaração do Estado de Emergência efectuada pelo Decreto do Presidente da República nº 14-A/2020, de 18 de Março, e destinou-se a avaliar a evolução da situação actual de emergência de saúde pública ocasionada pela doença COVID-19.
Miguel Silva Gouveia, o presidente da Câmara Municipal do Funchal (CMF), assinalou que no encontro que reuniu a Proteção Civil Municipal, os Bombeiros Sapadores do Funchal, os Bombeiros Voluntários Madeirenses, o IASAÚDE, a Cruz Vermelha Portuguesa, a Polícia Marítima, o Instituto das Florestas e Conservação da Natureza, o Instituto de Segurança Social da Madeira, a GNR e a PSP “todas as entidades fizeram um ponto de situação das medidas que têm vindo a tomar e do atual nível de operacionalidade das mesmas, tendo-se verificado uma profícua troca de informações e o aprofundamento da coordenação entre todas as entidades em causa.”
A decisão tomada, segundo o autarca, foi a de “não ativar, para já, o Plano Municipal de Emergência, em virtude das medidas que estão actualmente implementadas pelas autoridades competentes serem adequadas à situação atual, sem prejuízo de que este cenário se altere no futuro próximo, assim que tal se considere necessário.”
O presidente da edilidade funchalense concluiu que “em caso de risco epidemiológico, ou outro risco para a saúde pública, a coordenação das acções de emergência passará para a Autoridade de Saúde competente, pelo que reafirmamos a total disponibilidade do Município do Funchal em colaborar em tudo o que for necessário”.

Pin It on Pinterest