Estatuto Editorial

• Tribuna da Madeira é a consumação de um projecto eminentemente jornalístico.
• Tribuna da Madeira é um jornal madeirense.
• De periodicidade semanal, Tribuna da Madeira tem por segmentos-alvo a população residente na Região e as comunidades portuguesas residentes no estrangeiro.
• O semanário propõe-se criar uma empatia afectiva com os madeirenses, maiorias e minorias, de todos os credos políticos, sociais, religiosos, culturais e clubistas, fomentando a união indispensável a uma Região ultraperiférica e tradicionalmente abandonada pelas grandes metrópoles.
• Tribuna da Madeira será definitivamente um jornal equidistante e sem dependências em relação aos poderes político, económico, religioso e desportivo.
• Em conformidade, Tribuna da Madeira tem apenas uma dependência: em relação ao leitor.
• O semanário propõe-se reflectir e difundir, com firmeza, os anseios e as preocupações de um povo finalmente consciente de que a Autonomia regional é um processo dinâmico sem margem para períodos de   letargia.
• A defesa dos valores regionais será ininterrupta e vigorosa, mesmo considerando os quadros nacional e europeu onde a Madeira se situa.
• Tribuna da Madeira tentará oferecer aos madeirenses a possibilidade do reencontro com o gosto pela leitura, levando em conta os novos e aliciantes caminhos do jornalismo electrónico.
• Rigor, credibilidade e objectividade são ideias-chave com inabalável prioridade sobre as novas necessidades impostas pelas peripécias que dominam o mercado concorrencial.
• O critério determinante da cobertura jornalística contemplará exclusivamente o interesse da notícia, de harmonia com o dever de formar e informar imposto pela lei aos órgãos de comunicação social.
• O campo de acção de Tribuna da Madeira será marcado por uma estratégia de informação generalista, com o necessário aprofundamento de cada matéria tratada.
• Tribuna da Madeira adoptará um estilo de informação firme e invulnerável que dignifique a Madeira, o jornalismo e o próprio jornal.
• O semanário leva para o terreno a vivacidade, o vigor interventivo e a irreverência que definem o jornalismo de qualidade. Mas proíbe-se a si próprio de promover ou colaborar em julgamentos na praça pública, bem como de ceder à tentação do sensacionalismo, devassa da vida privada e do achincalhamento ou humilhação de qualquer cidadão.
• Sempre de acordo com a Lei de Imprensa e com a deontologia  do jornalismo, Tribuna da Madeira tentará apoiar entusiasticamente a totalidade dos sectores da vida regional – classes populares e agentes do desenvolvimento de todos os patamares da economia.
• A responsabilidade editorial é a determinada por lei.
• Tribuna da Madeira terá opinião própria, crítica e absolutamente desprendida da administração pública e das diversas forças políticas, estejam elas no governo ou na oposição.
• O direito de resposta está garantido e com amplas facilidades.
• O semanário assume-se como mais um factor do movimento democrático e autonómico da Madeira.
• Tribuna da Madeira actuará de acordo com as presentes linhas editoriais e pugnará pelos princípios que garantem a liberdade de imprensa dos seus jornalistas e dos cidadãos em geral.

Pin It on Pinterest