Agostinho Soares lança “O Destino das Vogais”

“O Destino das Vogais”, de Agostinhos Soares é lançado, hoje, às 18h00 na Câmara Municipal do Funchal.

“O Destino das Vogais” é o primeiro livro do professor de português e conhecido militante do Partido socialista, Agostinho Soares. Com chancela da editora O Liberal o livro vai ser lançado está tarde, pelas 18h00, no Salão Nobre da Câmara Municipal do Funchal.

Neste livro estão compiladas crónicas e alguns artigos publicados na imprensa regional nos anos de 1995 a 1997, no Diário de Notícias e em 2010 e 2011, no Diário Cidade. No “Destino das Vogais” encontra crónicas da vida quotidiana da sociedade madeirense, assim como vivências da via política regional. A primeira parte do livro é mais marcada por textos ligados “a religiosidade numa caminhada onde o autor procura reflectir o mundo à sua volta”. Já, na segunda parte a escrita versa sobre textos de cariz político social devido à época em que foram escritos os artigos.

Em declarações ao CidadeNet, Agostinho Soares revela que “aqui estão escritas crónicas com alguma longevidade, o livro abrange histórias com 13 anos e as crónicas mostram que embora já passe-se mais de uma década os textos continuam actuais porque a situação social e política mantêm-se na Madeira”, considerou.

O autor referiu ainda que no “O Destino das Vogais” os leitores podem encontrar vários textos de opinião sobre a escola enquanto instituição, a educação, as relações de poder, as relações entre o poder e a oposição, a liberdade individual entre muitos outros.

Nas suas 170 páginas “O Destino das Vogais” retrata nos seus artigos e crónicas episódios sócio- culturais das vivências e costumes do povo madeirense.

O autor considera que o livro pode ser lido pelo público em geral, mas naturalmente, é mais propício a adultos, no sentido, que as crónicas veiculam um pensamento formado sobre a realidade envolvente.

Agostinho Soares destaca ainda que “o livro funciona como um momento de diálogo e de confronto de ideias com outras pessoas que se dedicam a pensar a realidade actual”.

O nome do livro segundo conta o autor foi escolhido pelo facto das vogais representarem para si “o grito de revolta, de denúncia e a crítica”.

Agostinho Soares revelou a vontade de em 2012 lançar outro livro, desta vez, ligado à área da literatura, pode ser um conto ou uma recensão crítica.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

[twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest