Nacional garante apuramento

O Nacional garantiu hoje o apuramento para a 5ª eliminatória da Taça de Portugal, ao derrotar o Paços de Ferreira.

O C. D. Nacional não conseguiu segurar uma vantagem de 2-0, e só no desempate por pontapés da marca de grande penalidade garantiu o apuramento para a 5ª eliminatória da Taça de Portugal, eliminando o Paços de Ferreira.
Ao intervalo, a formação orientada pelo prof. Pedro Caixinha vencia em Paços de Ferreira por 2-0, resultado que espelhava a superioridade alvi-negra no jogo.
Aos 28 minutos o cruzamento de Mihelic apanhou Neto em excelente posição na área, e o central, de cabeça, faz o 1-0. 11 minutos depois, Juliano recupera uma bola no meio campo ofensivo e serviu Mateus, que rematou para o 2-0, resultado que se mantinha no final dos primeiros 45 minutos.
No reatamento o Nacional voltou a entrar melhor, mas num lance de azar, Stojanovic, ao tentar impedir que a bola chegasse a William, acabou por fazer um auto-golo, relançando o jogo. Animado pelo golo, o Paços chegaria ao empate cinco minutos depois, com Melgarejo a aproveitar bem as facilidades concedidas pela defesa do Nacional para bater Vladan pela segunda vez.
Reagiu bem o Nacional, e voltou a criar perigo para a baliza pacense. Aos 75 minutos, o golo esteve mesmo à vista, mas António Filipe, primeiro e Luisinho, logo depois, evitaram o terceiro da formação alvi-negra.
Até ao minuto 90 nenhuma das equipas conseguiu criar situações claras de golo pelo que a eliminatória foi mesmo para prolongamento.
A expulsão de Josué aos 96 minutos facilitou a tarefa ao Nacional, que se tornou cada vez mais perigoso. Depois de uma primeira ameaça, aos 104 Skolnik, na cobrança de um livre, acertou na barra. Na recarga, Mateus atirou por cima.
Daí até final do prolongamento só deu Nacional, mas faltou acerto na hora de atirar ao golo pelo que se atingiu o minuto 120 sem que o resultado sofresse alteração. Foi pois necessário recorrer ao desempate por pontapés da marca de grande penalidade para decidir o vencedor do jogo.
Na primeira série Claudemir atirou por cima mas Vladan defendeu o remate de João Paulo pelo que houve necessidade de recorrer à segunda série. Aí Vitor falhou, Candeias marcou e o Nacional apurou-se. Com sofrimento mas com justiça. Três anos depois de ter sido afastada da final da prova por este adversário, a equipa alvi-negra acabou assim por conseguir o tira-teimas.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

[twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest