USAM pede aos trabalhadores para não terem medo

A USAM, apela aos trabalhadores para não se deixarem intimidar pelas ameaças das chefias e aderirem à greve.

 

O dirigente sindical e secretário-geral da União de Sindicatos da RAM (USAM) Álvaro Silva realizou, esta tarde, a última distribuição de panfletos e esclarecimentos à população sobre as razões da greve-geral.

O  sindicalista referiu que as expectativas de adesão à greve são altas, no entanto, apela a todos os trabalhadores que estão a ser ameaçados para não fazerem greve para denunciarem essas situações junto do sindicato e não ficarem intimidados pelo medo.

“No contacto que temos com os trabalhadores aquilo que nos têm dito é que querem fazer greve mas têm ameaças e chantagens das chefias. Nós advertimos a esses trabalhadores para não se deixarem intimidar e para saírem à rua. Há muita pressão, mas peço aos trabalhadores que se sentirem ameaçados para fazerem  a denúncia junto da USAM”, apelou.

Álvaro Silva diz que os números não mentem e dá o exemplo da alternativa que o Governo da República podia usar para não cortar 50% do subsídio de Natal da Função Pública.

“Em 2010 foram movimentados 145 milhões de euros em bolsa. Uma taxa de 2% permitiria ao Estado arrecadar 2,9 milhões de euros e evitar o roubo nos subsídios de Natal e férias do próximo ano”, revelou, acrescentando que “em 2010 e 2011 saíram do país mais de 3500 milhões de euros  sem pagar um cêntimo de impostos”.

De notar que a USAM vai realizar, no dia 24 de Novembro, na Avenida Arriaga, pelas 16h30, uma concentração que servirá de local para a manifestação do desagrado dos trabalhadores e aí será feito o balanço da greve.

 

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

 

 

 

Pin It on Pinterest