Adesão à greve rondou os 20% na administração pública

A adesão à greve por parte da administração pública na Região rondou os 20%.

Na Região a adesão à greve por parte dos trabalhadores da administração pública e de entidades com fins públicos (SINTAP) não superou as expectativas do sindicato. Há pouco, em declarações ao CidadeNet, o coordenador regional do Sindicato da Administração Pública Ricardo Freitas afirmou que a adesão foi baixa, na ordem dos 20%.

Um número que o sindicalista atribui “à discrepância muito grande entre o exercício do espírito de luta e de crítica, de indignação, de protesto e de consciência cívica entre o trabalhador com muitas carências nível do Continente, e o trabalhador que vive na Madeira”, explicou.

O dirigente sindical justificou a fraca adesão com o medo e com as ameaças das entidades patronais e também pelo facto de os madeirenses serem um povo conformado, uma situação que preocupa o SINTAP. “Há aqui a consciência de um certo conformismo que está latente, e também algum temor. Penso que temos de encontrar uma melhor sintonia entre os trabalhadores  que nos dizem avancem, façam e lutem, e a sua concretização”, frisou.

Ricardo Freitas advertiu que “ as medidas de austeridade apresentadas pelo governo de coligação PSD/CDS não pode ter como resposta o conformismo e os sentimentos de inevitabilidade como se as coisas fossem imutáveis”, concluiu.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

[twitter style=”vertical” float=”left”]

 

Pin It on Pinterest