Luísa Paolinelli apresenta “O Desaparecimento da Estátua”

Livro infanto-juvenil é apresentado hoje, pelas 18h, no Teatro Municipal Baltazar Dias.

“O Desaparecimento da Estátua”, um livro de Luísa Paolinelli, que relata as aventuras e as desventuras da galinha detetive Piri-Piri e das suas amigas, tem como destinatário o público infanto-juvenil, mas também pode ser lido pelos adultos.

“É um livro que tem duas leituras. Uma é aquela que as crianças fazem e outra aquela que os adultos fazem. Em relação à mensagem, não é que tenha uma só mensagem, tem várias mensagens. A mais importante é que os homens, tal como as galinhas deste livro, devem manter e cultivar os valores humanistas e de aproximação aos outros”.

Habituada a analisar cientificamente os livros de outros escritores, é a primeira vez que Luísa Paolinelli se lança, a título pessoal, no mercado literário. E colocar-se sobre a análise dos outros nem sempre é tarefa fácil. “Tive que pôr de lado o facto de estar ligada às literaturas. Tive de escrever sem medos. É uma primeira aventura e vou esperar pelas reações do público.”

A apresentação da obra “O Desaparecimento da Estátua” decorre hoje, pelas 18h, no Teatro Municipal Baltazar Dias, e tem a chancela da Editora O Liberal. A autora refere ainda que, conhecendo os tempos difíceis vividos pelas famílias madeirenses e no mercado literário, este é um livro económico.

“Tentamos fazer um livro económico. O livro não tem grandes ilustrações, que normalmente encarecem os livros. Queria mesmo algo sóbrio que lembrasse os livros do século XIX, porque é uma história de detetives”.

Os cortes conhecidos no sector cultural também mereceram o reparo da escritora. Até porque, no seu entender, um povo que vive sem cultura, vive sonâmbulo. “É óbvio que temos necessidades básicas, como a saúde ou a alimentação, mas temos de compreender que é pela cultura que fazemos a diferença”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]


PUB

Pin It on Pinterest