Nas bancas a edição 1220 do Tribuna da Madeira

“Apostou-se exageradamente em investimentos de betão”

As celebrações do 25 de Abril na Assembleia Legislativa da Madeira ficaram marcadas por queixas contra o “centralismo” de Lisboa e críticas ao Governo Regional. Para PSD e CDS, passado quase meio século desde a «Revolução dos Cravos», urge repensar a Autonomia. A oposição à maioria parlamentar, no entanto, não tem dúvidas que foram cometidos “erros na governação” da Região Autónoma.  

 

“O CDS é co-responsável por uma má governação na Madeira”

Co-fundador e ex-deputado do BE na Assembleia da República, Luís Fazenda aponta que “o verdadeiro castigo” ao Governo Regional “é votar à esquerda” nas próximas eleições legislativas. O antigo deputado afirma que a Madeira poderia estar “muitíssimo mais desenvolvida” do ponto de vista da sua Autonomia, mas que o Governo de Albuquerque “não o tem feito para camuflar o Estatuto Político-Administrativo da Madeira”. Motivo? Os “interesses particulares e a promiscuidade de negócios entre representantes políticos”.  

 

“O GR NÃO FEZ TUDO PARA MANTER O FERRY”

A condição ultraperiférica das ilhas da Madeira e Porto Santo impõe custos acrescidos ao transporte de mercadorias e agrava a importância de ligações regulares de carga e passageiros com a parcela continental da República. Ao longo dos anos, tais situações tornaram-se ainda mais penosas pela gestão danosa que o governo regional tem feito dos portos da Região, assim como pela incompetência com que encarou as várias tentativas para estabelecer uma ligação marítima regular, à semelhança do que, em tempos, foi feito pelo “Naviera Armas’, a qual tem penalizado severamente o cidadão comum. Porém, quando a prioridade é o exibicionismo da Secretaria do Turismo e da Câmara Municipal, não há nada que não seja feito para trazer carros para a Região, usando a propriedade alheia para entreter a população e promover um eleitoralismo que devia envergonhar quem o pratica.  

 

Escola Hoteleira – “Governo tenta ‘sacudir a água do capote’”

O presidente do Grupo Parlamentar do Partido Socialista, Rui Caetano, manifestou-se sobre a “discriminação na Escola Hoteleira”. A nota de imprensa, enviada à comunicação social, nesta quarta-feira, dá conta que “confirmou-se a fuga do secretário regional da Educação às explicações no Parlamento sobre as denúncias de alegada discriminação e escravatura feitas por um grupo de alunos são-tomenses que frequentam a Escola Profissional de Hotelaria e Turismo da Madeira. Passado já mais de um mês sobre as referidas denúncias e sobre o pedido de audição do PS a Jorge Carvalho, só hoje a Comissão Permanente de Educação, Desporto e Cultura se pronunciou sobre este assunto, chumbando o requerimento socialista”.  

 

Proposta de alteração da Lei da Polícia Municipal

A comissão política do Partido da Terra Madeira manifestou-se sobre a Polícia Municipal. Segundo nota de imprensa, enviada esta quarta-feira, pelo coordenador MPT-Madeira, Valter Rodrigues, “o MPT a seu tempo defendeu a criação de uma polícia municipal na cidade do Funchal, a fim de diminuir a criminalidade, embora considere que esta criminalidade está associada a problemas sociais: toxicodependência, falta de oportunidades e pobreza. O MPT já apresentou propostas sobre estas causas, que vão no sentido de tornar a Sociedade mais saudável”.  

 

Admissão de seis Consultores Jurídicos gerou polémica

A equipa da Confiança na Câmara do Funchal manifestou, esta quinta-feira, após a reunião semanal do executivo, o seu pesar pela morte do jovem trabalhador ao serviço do Município do Funchal, endereçando os sentimentos à família enlutada. No ordem de trabalhos da reunião pública, o assunto que gerou mais polémica foi a admissão de seis Consultores Jurídicos num concurso que previa inicialmente apenas a contratação de duas pessoas para a área jurídica. No quadro de pessoal do Município do Funchal já se encontram vinculados 26 Técnicos Superiores Consultores Jurídicos e cinco Técnicos de Serviços Jurídicos recém-contratados, ao que acrescer-se-ão as contratações aprovadas, esta quinta-feira, com os votos contra dos vereadores da Confiança.

 

Funchal avança com habitação a custos controlados

A Câmara Municipal do Funchal aprovou a abertura do concurso público internacional, com prazo de receção de propostas de 90 dias, para a construção de 33 fogos de habitação, na Nazaré, junto à rotunda da Leroy Merlin, na freguesia de São Martinho. “É o primeiro projeto de habitação a custos controlados no concelho, no montante de 5 milhões de euros, com verbas do Programa de Recuperação e Resiliência (PRR), por via do 1. ° Direito- programa lançado a nível nacional pelo Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) que prevê a construção de 202 habitações na cidade do Funchal”, revelou o presidente da autarquia, no final da reunião semanal do executivo, realizada nesta quinta-feira.  

 

Festa da Flor com investimento de 940 mil euros

O evento decorre entre 27 de abril e 22 de maio. O Governo da Madeira investiu 940 mil euros na Festa da Flor 2023, evento que decorre entre 27 de abril e 22 de maio, estando prevista uma ocupação hoteleira de 94%, a “mais elevada de sempre”. Considerado pelo secretário regional do Turismo e Cultura da Madeira, Eduardo Jesus, “o maior investimento de sempre neste cartaz”.


Adquira o Semanário Tribuna da Madeira em formato (PDF). Informação independente por apenas 2 €. assinaturas@tribunadamadeira.pt ou na loja online