Portugal vai “pagar caro” a falta de enfermeiros [VÍDEO]

Na Madeira, segundo a Ordem dos Enfermeiros, há carência de profissionais em vários serviços.

IMG_7632O Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira continua com carência de profissionais de enfermagem, isto apesar do rácio ser superior à média nacional, quem o diz é o presidente da delegação regional da Ordem dos Enfermeiros, Ricardo Silva. Esta tarde, na cerimónia de vinculação à profissão de 50 novos enfermeiros, foram expressas preocupações com o estado da saúde nacional e regional e com os riscos que isso acarreta para os utentes.

Germano Couto, Bastonário da Ordem dos Enfermeiros, que se deslocou à Região para participar na cerimónia, sublinhou que em muitos serviços há um clima de insegurança e lembrou que a falta de aposta no sector traz mais gastos. São cada vez mais os profissionais que se formam em Portugal e vão trabalhar para o exterior.

“Temos assistido em muitos contextos, nomeadamente hospitais e centros de saúde, a situações de insegurança nos cuidados porque realmente não há enfermeiros. E depois isto acaba por ficar caro ao país, se pensarmos nas infecções cruzadas, nas úlceras por pressão, nas quedas, um conjunto de padrões de qualidade que são mínimos e não estão a ser cumpridos, acabamos por perceber que vamos pagar muito caro a falta de enfermeiros no País”.

Também presente, o secretário regional dos Assuntos Sociais, Francisco Jardim, reiterou que o Governo Regional tem feito de tudo para assegurar cuidados de saúde com qualidade. “Temos tido sempre a preocupação de ter os serviços com dotações seguras de profissionais. A nível dos cuidados de saúde primários lembrou que temos um número superior àquele que é recomendado a nível nacional”. Um dos objectivos da tutela é colocar no quadro todos os enfermeiros que se encontram a recibos verdes.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest