Parlamento debate Sistema de Vigilância em Saúde Pública

A oposição diz que estas questões são muito sérias e merecem toda a atenção do Governo.

fotografia 2A Assembleia Legislativa da Madeira analisa agora a proposta de decreto legislativo regional, intitulada “ADAPTA À REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA A LEI N.º 81/2009, DE 21 DE AGOSTO, QUE ESTABELECE UM SISTEMA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE PÚBLICA, QUE IDENTIFICA SITUAÇÕES DE RISCO, RECOLHE, ATUALIZA, ANALISA E DIVULGA OS DADOS RELATIVOS A DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS E OUTROS RISCOS EM SAÚDE PÚBLICA, BEM COMO PREPARA PLANOS DE CONTINGÊNCIA FACE A SITUAÇÕES DE EMERGÊNCIA OU TÃO GRAVES COMO DE CALAMIDADE PÚBLICA”, apresentada com processo de urgência. O secretário regional dos Assuntos Sociais, Francisco Jardim Ramos, faz a defesa das ideias do Governo.

Perante todas estas situações de risco, Roberto Vieira, do MPT, desafiou o governante a dizer se o Centro de Saúde do Porto da Cruz tem condições reais para responder a eventuais casos de Ébola.

Hélder Spínola, do PND, observou que mais uma vez estamos perante uma medida “minimalista” e resultante de um “PSD desorientado e esquizofrénico”, que já não sabe bem aquilo que defende, como acontece no caso das ligações marítimas e aéreas.

O PND sublinhou também que estas situações de saúde merecem toda a atenção e acusou o secretário regional de fazer “declarações contraditórias”. Um dos exemplos é a construção do novo hospital.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest