Empréstimos e depósitos com tendência decrescente

Segundo os dados do Banco de Portugal, o saldo do volume de empréstimos concedidos a sociedades não financeiras com sede na Madeira rondava os 3,2 mil milhões de euros.

creditoSegundo os dados do Banco de Portugal, no final do 4º trimestre de 2014, o saldo do volume de empréstimos concedidos a sociedades não financeiras com sede na Região Autónoma da Madeira rondava os 3,2 mil milhões de euros, menos 132 milhões de euros que no final de setembro de 2014. A redução face ao trimestre homólogo de 2013 foi de 16,7% (-642 milhões de euros).

No sector das famílias, o saldo do volume de empréstimos concedidos atingiu no fim do trimestre em referência os 3,2 mil milhões de euros (montante idêntico ao das sociedades não financeiras), assistindo-se igualmente a uma diminuição do referido saldo em 37 milhões de euros face ao final do 3º trimestre de 2014. Quando comparamos o 4º trimestre de 2014 com o período homólogo do ano precedente observamos que a queda foi de 3,9% (menos 132 milhões de euros).

O rácio de crédito vencido no sector das famílias atingiu no final de dezembro de 2014 os 5,9% (o que se traduz em cerca de 190 milhões de euros, mais 4 milhões que no trimestre anterior e mais 19 milhões que no fim de 2013).

Já o crédito malparado é mais acentuado no crédito para consumo e outros fins (18,9% do total de crédito concedido para este fim, cerca de 108 milhões de euros) do que no segmento da habitação (3,1% do total, cerca de 82 milhões de euros). Comparativamente ao país, o rácio de crédito vencido no segmento de habitação na RAM (3,1%) é ligeiramente superior à média nacional (2,8%), sendo o diferencial superior no segmento “consumo e outros fins” (18,9% na RAM contra 14,4% no país).

Os dados do Banco de Portugal mostram ainda que as poupanças dos particulares (excluindo emigrantes) rondavam no fim de 2014 os 3,0 mil milhões de euros (20 milhões de euros menos que no fim de 2013), enquanto os depósitos de emigrantes atingiram à mesma data os 744 milhões de euros (mais 19 milhões de euros que no fim do 4º trimestre de 2013).

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest