Consumo de energia eléctrica mantém ritmo de crescimento elevado

Em Setembro, o consumo de energia eléctrica manteve um ritmo de crescimento elevado, +2,7% devido fundamentalmente às temperaturas acima dos valores normais que se continuaram a sentir. Com correcção dos efeitos de temperatura e número de dias úteis regista-se ainda assim uma variação de +0.9%. No final do 3º trimestre o consumo regista uma variação anual de +0,9% , +0,4% com correcção de temperatura e dias úteis.

Este mês o índice de produtibilidade hidroeléctrica situou-se em 1.23, um valor acima da média mas com pouco significado por se tratar de um mês com valores tipicamente muito baixos. Na produção eólica os valores ficaram ligeiramente abaixo da média com um índice de 0,96. O sistema nacional manteve-se exportador, com um saldo equivalente a cerca de 5% do consumo nacional. A produção a partir de fontes renováveis, abasteceu este mês 38% do consumo nacional + o saldo exportador.

Para o período de janeiro a setembro, o índice de produtibilidade hidroeléctrica anual situa-se agora em 1,66 e o de produtibilidade eólica em 1,09. A produção renovável abasteceu 61% do consumo + saldo exportador, repartindo-se pela hidráulica com 33%, eólica 22%, a biomassa 5% e fotovoltaica 1,5%. A produção não renovável abasteceu 39%, 20% com carvão e 19% com gás natural. Ainda no período de janeiro a setembro, o saldo exportador equivale a 12% do consumo nacional.

No mercado de gás natural, o consumo mantém a tendência dos últimos meses, registando em Setembro um forte crescimento homólogo de 10,6%, com o segmento de produção eléctrica a crescer 34% e o segmento convencional a registar também uma variação marginalmente positiva com +0,4%. No final do 3º trimestre regista-se o consumo de gás natural mais elevado desde 2011, e uma variação, face ao mesmo período do ano anterior de +2.2%, com o crescimento de 28% no mercado eléctrico a compensar uma redução de 4,1% no mercado convencional.

Pin It on Pinterest