Madeira no fundo da tabela do ranking de facilidade em comprar casa

Muitas famílias têm encontrado dificuldades na concretização do sonho de ter casa própria devido ao aumento dos preços no setor imobiliário nos últimos anos. Se os distritos do Interior se destacam pela positiva, exigindo a aquisição de habitação, em média, apenas 15 anos de trabalho, as realidades do Algarve (42 anos), Lisboa (36 anos) e Madeira (28 anos) deixam em evidência as disparidades entre os salários e o preço por m² médios em algumas regiões do nosso país.

Alertada pelo facto de, muito por consequência destas disparidades, 4 em cada 10 dos mais de 6.000 portugueses queentre março e agosto utilizaram o seu simulador gratuito de crédito à habitação terem obtido prestações demasiado elevadas para o seu orçamento mensal, a plataforma ComparaJá.pt procurou analisar qual o valor máximo de financiamento que um casal poderá solicitar para comprar casa em cada município de Portugal sem pressionar a sua taxa de esforço, indicador que visa evitar futuras situações de sobreendividamento.

As conclusões do estudo deste portal independente que disponibiliza ferramentas de comparação de produtos de crédito e pacotes de telecomunicações apontam para o facto de, em média, as famílias nacionais necessitarem de 25 anos de trabalho para conseguir comprar casa (exemplo de habitação com 120 m²), sendo quatro dos quais correspondentes à poupança para a entrada inicial do empréstimo, caso dediquem a esta finalidade um terço do total dos seus rendimentos mensais.

Com base nas perspetivas exploradas no estudo, seja pelo ajuste do valor do empréstimo ou do prazo do mesmo, os portugueses podem perceber como adequar o pedido de crédito à habitação às suas reais possibilidades financeiras por forma a não pressionarem a sua taxa de esforço acima do limite recomendável – cerca de um terço do rendimento mensal do agregado – e, consequentemente, evitar o incumprimento para com o banco”, explica Sérgio Pereira, fundador do ComparaJá.pt.

Pin It on Pinterest