Lisbonense homenageia Herberto Hélder

O Externato Lisbonense homenageia amanhã um dos seus antigos alunos, Herberto Hélder.

O Externato Lisbonense e os seus alunos prestam amanhã uma homenagem privada a um dos seus antigos alunos mais proeminentes, Herberto Hélder, atribuindo o seu nome à Biblioteca, na qual constarão muitos exemplares do seu espólio artístico.

Oportunamente será realizada uma sessão de apresentação de uma peculiar escultura criada por um artista plástico madeirense, dedicada a Herberto Hélder, e que ficará em permanente destaque na “Sala-Museu” deste Colégio centenário madeirense.

Refira-se que Herberto Helder Luís Bernardes de Oliveira nasceu a 23 de Novembro de 1930 no Funchal, no seio de uma família de origem judaica.

Em 1946, com 16 anos, viaja para Lisboa para frequentar o 6º e o 7º ano do curso liceal. Em 1948, matricula-se na Faculdade de Direito de Coimbra e, em 1949, muda para a Faculdade de Letras onde frequenta, durante três anos, o curso de Filologia Romântica.

Em 1954, data da publicação do seu primeiro poema em Coimbra, regressa à Madeira onde trabalha como meteorologista, seguindo depois para a ilha de Porto Santo. Quatro anos mais tarde, em 1958, publica o seu primeiro livro, O Amor em Visita.

“Apresentação do Rosto”, “O Bebedor Nocturno”, “Cinco Canções Lacunares”, “Os Passos em Volta”, “Os Brancos Arquipélagos”, “Cobra”, “O Corpo”, “O Luxo”, “A Obra” e “Photomaton e Vox” são algumas das obras que constam da sua referência bibliográfica.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

[twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest