Coelho não esquece casos de corrupção na Madeira

Deputado trabalhista denuncia inércia da justiça portuguesa e aumento da corrupção.

A iniciativa do Partido Trabalhista Português (PTP) teve como palco a Procuradoria Geral da República. José Manuel Coelho disse, na oportunidade, que é o “Sherlock Holmes da política portuguesa”, porque não tem medo de denunciar os casos de corrupção e as ilegalidades do regime jardinista.

“A justiça portuguesa, o Ministério Público e os juízes são, na sua maioria, uma canalha fascista. Eles estão contra o Portugal de Abril, contra os direitos dos cidadãos e não exercem a justiça”, apontou o deputado, acrescentando que muitos dos casos denunciados acabam por não ter resultados.

Coelho disse mesmo que, na Região Autónoma da Madeira, a Polícia Judiciária sente-se instrumentalizada. “Quando qualquer cidadão denuncia um caso de corrupção, a justiça vira-se contra esse cidadão e não contra o corrupto”. Há um sentimento de medo que obriga as pessoas a esconderem a verdade.

Nesta ação política, em Lisboa, foram apontados alguns casos que, depois de uma investigação policial, foram arquivados. Por exemplo um processo que tem como arguidos: Maria Cristina Pedra e António Paulo Sousa, acusados em 2007 de desviar dinheiros comunitários para ações de formação que nunca aconteceram.

O deputado trabalhista sublinhou que aquele é um bom exemplo da ineficácia da justiça e do aumento da corrupção, que acontece com a conivência do Governo Regional e dos “amigos do regime”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest