Enfermeiros anunciam greve a 14 e 21 de Novembro

O Sindicato diz que a proposta de Orçamento de Estado para 2015, mais uma vez e por mais um ano, “mente e rouba esperança”.

sindicatoA proposta de Orçamento de Estado para 2015, contrariamente ao que estava inscrito no Documento de Estratégia Orçamental e que o Governo propagandeou, em Junho, não prevê normas que são exigências dos enfermeiros e do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), nomeadamente, a progressão na carreira, o fim dos cortes salariais nas horas penosas e nas horas extraordinárias, reposição das 35 horas, etc.

E, neste sentido, o SEP enviou, aos vários Grupos Parlamentares e à Comissão Parlamentar da Saúde documento com propostas de alteração à proposta de Orçamento de Estado e solicitou também reunião ao Ministério da Saúde para, entre outras matérias, questionar qual tem sido a sua intervenção para por cobro aos mais recentes casos de subcontratação de enfermeiros, nomeadamente no Médio Tejo, a 3€/hora e as intenções do Centro Hospitalar do Oeste de, ao invés de privilegiar a contratação definitiva dos enfermeiros, mantém a opção da subcontratação e até permite alterações contratuais, degradando ainda mais a relação de trabalho daqueles profissionais.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest