Zona Velha não pode ser “zona de conflito”

A Câmara do Funchal quer resolver as divergências entre os moradores e os comerciantes.

cafofoA vereação da Câmara Municipal do Funchal analisou hoje as questões que envolvem a zona velha e que criam desentendimentos entre os moradores e os comerciantes.

Paulo Cafôfo, presidente da Câmara Municipal do Funchal, apontou como principais problemas da zona o ruído, as acessibilidades, o estacionamento anárquico e os horários de funcionamento, mas sublinhou que esta não pode ser uma zona de conflito, pelo que pretendem chegar a um entendimento definitivo com as partes envolvidas.

“Esta Câmara do Funchal tem uma estratégia relativamente à zona velha e essa estratégia passa por uma regeneração daquela área”, em termos da reabilitação do edificado, da dinamização da economia local e da qualidade de vida das pessoas.

Da reunião de hoje ficou ainda a decisão de criar uma nova orgânica na Câmara Municipal do Funchal. Uma medida aprovada apenas com os votos da Coligação e a abstenção dos restantes partidos. “Uma nova estrutura que vem possibilitar uma maior rentabilização dos recursos da câmara e uma maior eficiência dos serviços que são prestados aos munícipes”.

Pin It on Pinterest