Acordo prevê o pagamento por doente tratado da Hepatite C

O Estado chegou a acordo com a empresa farmacêutica fornecedora de dois medicamentos inovadores para o tratamento da hepatite C.

governoO Ministro da Saúde, Paulo Macedo, anunciou que o Estado chegou a acordo com a empresa farmacêutica fornecedora de dois medicamentos inovadores para o tratamento da hepatite C.

«Acordou-se algo importante, que foi pagar por doente tratado», afirmou o Ministro, em conferência de imprensa, acrescentando: «o Estado não pagará se um mesmo doente necessitar de tratamento adicional». Este acordo permitirá «tratar mais doentes, de forma equitativa, abrindo caminho para iniciar a erradicação da doença».

Sublinhando que não se contratou a compra de embalagens, mas o tratamento dos doentes, o Ministro acrescentou que «o acordo alcançado permite aceder a dois dos medicamentos considerados inovadores para a hepatite C: o Sofosbuvir, aprovado em junho, e o Harvoni, aprovado em dezembro e que Portugal consegui dar aos seus doentes em fevereiro».

«Este foi o melhor acordo alcançado por um país europeu», referiu ainda o Ministro, acrescentando: «Vamos conseguir tratar mais doentes de forma mais equitativa. Abrimos caminho para podermos iniciar a erradicação da doença».

O acordo prevê o pagamento por doente tratado, independentemente do tempo ou do número de embalagens do medicamento que tanto pode ser o Sofosbuvir ou o Harvoni, para assegurar uma total equidade, bem como o pagamento por doente curado, tendo sido negociado um mecanismo de composição de tratamento face à percentagem de sucesso alcançado.

O medicamento será disponibilizado de acordo com os critérios de especialistas da Comissão Nacional de Farmácia e Terapêutica e da Direcção-Geral de Saúde.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest