Dormidas na Madeira aumentaram 4,7%

Em dezembro de 2014, a hotelaria recebeu 901,0 mil hóspedes, que originaram 2,1 milhões de dormidas.

hoteisO Instituto Nacional de Estatística revela que, em dezembro de 2014, a hotelaria recebeu 901,0 mil hóspedes, que originaram 2,1 milhões de dormidas. Estes resultados correspondem a acréscimos de 14,6% e 15,5% respetivamente e superaram os do mês anterior (+8,8% e +11,4%).

O mercado interno correspondeu a 13,8 milhões de dormidas (+13,0%). Também os mercados externos apresentaram uma evolução positiva em 2014 (+10,2% correspondendo a 32,3 milhões de dormidas), mais acentuada que nos dois anos anteriores (+7,7% em 2013 e +4,8% em 2012).

Todas as regiões apresentaram aumentos assinaláveis do total de dormidas, salientando-se os Açores (+23,1% em dezembro). No Norte e Centro os incrementos foram também notórios (+19,2% e +18,6% respetivamente), superiores a novembro (+8,6% e +2,3%). As regiões com maior procura foram Lisboa (31,1% das dormidas totais), Algarve (19,0%) e Madeira (17,5%).

Considerando os valores preliminares de 2014, observa-se um crescimento expressivo das dormidas em todas as regiões do Continente, salientando-se o Alentejo e Lisboa (+17,2% e +15,0%). Nos Açores as dormidas pouco oscilaram (+0,9%) e na Madeira aumentaram 4,7%. Em 2013 as evoluções tinham sido menos intensas e até de sinal negativo no Alentejo (-2,5%) e Centro (-0,9%).

Os dados mostram ainda que os estabelecimentos hoteleiros registaram 105,7 milhões de euros de proveitos totais e 66,4 euros de proveitos de aposento, equivalendo a aumentos de 16,8% e 18,7% respetivamente, ligeiramente superiores aos de novembro (+15,8% e +14,7%). No período de janeiro a dezembro os proveitos totais atingiram 2 204,1 milhões de euros e os de aposento 1 555,5 milhões de euros, correspondendo a acréscimos de 12,8% e 13,5%, respetivamente (+5,3% e +6,2% em 2013).

Já o RevPAR foi 33,1 euros, representando um crescimento de 9,5% (+6,0% em 2013). Madeira e Lisboa registaram os valores mais elevados do RevPAR, em dezembro (29,4 € e 28,7 € respetivamente), mas todas as regiões apresentaram evoluções positivas, com destaque para o Norte (+19,1%) e Lisboa (+16,8%).

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest