Currículos levam a mais duas baixas no Governo

O Governo da República decidiu fazer um levantamento exaustivo dos currículos de adjuntos, assessores, especialistas e chefes de gabinete após a polémica das falsas licenciaturas, originando mais duas baixas, depois das demissões já ocorridas no mês de Outubro. Segundo o Observador, um por falsa licenciatura no gabinete do secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares; outro por causa de uma inscrição na faculdade, que constava no currículo.

“Quando os casos das falsas licenciaturas foram conhecidos, fizemos um despiste para tentar encontrar qualquer situação do género que não estivesse identificada nos currículos. Pedimos entrega de certificados de habilitações, mas a Carla [Fernandes, assessora de imprensa] não entregou e disse que não tinha forma de entregar e pediu a exoneração. Não ignorámos a mentira, mas não foi preciso tomar a iniciativa porque ela pediu a exoneração”, disse Pedro Nuno Santos, o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares.

No Ministério do Mar, a análise dos currículos também levou à exoneração do antigo jornalista Fausto Coutinho, cujo despacho de nomeação para adjunto dizia que “em 2005 matriculou-se na Universidade Lusófona de Lisboa que, devido à sua intensa actividade profissional, não chegou a frequentar.”

Pin It on Pinterest