USAM apela à greve geral

O povo deve protestar contra a “política de empobrecimento”.

A União dos Sindicatos da RAM (USAM) esteve esta tarde em frente à porta da Sé do Funchal a distribuir um manifesto à população, o qual esclarecia os motivos da Greve Geral marcada para o próximo dia 24 de Novembro pela CGTP-IN.

“Em 2010, foram movimentados 145 mil milhões de euros em bolsa. Uma taxa de 2% permitiria ao Estado arrecadar 2,9 mil milhões de euros e evitar o roubo dos subsídios de Natal e de Férias”, podia ler-se no manifesto distribuído.

Em declarações à comunicação social Pedro Carvalho, do secretariado da USAM, afirmou que os trabalhadores têm “motivos de sobra” para aderir à greve, frisando que é fundamental protestar “contra esta política de empobrecimento” imposta pelo Governo da República e pela troika.

“É verdade que vamos perder um dia de salário, mas vamos salvaguardar três meses de salário num ano”, apontou Pedro Carvalho.

Desta forma, aquele responsável apelou a todos os trabalhadores, dirigentes e activistas sindicais, desempregados, reformados e pensionistas para se concentrarem no dia 24 de Novembro, pelas 16h00, na Avenida Arriaga. Na ocasião, a USAM irá realizar um balanço da adesão à greve a nível regional.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

[twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest