«Estamos a trabalhar atempadamente» para responder aos desafios futuros, da Europa e a nível interno

«Em 2018, a Europa fará debates fundamentais para definir a sua orientação em importantes matérias» e «Portugal quer contribuir, afirmando a defesa inequívoca da construção europeia e importância do seu reforço», afirmou o Ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, no workshop Portugal 2030, em Lisboa, cuja abertura foi feita pelo Primeiro-Ministro, António Costa.

O Ministro referia-se à conclusão da União Económica e Monetária e quais os modelos para a concretizar, aos recursos próprios da União Europeia, e às novas políticas que a Europa deve assumir.

«Estamos a trabalhar atempadamente para ter um papel relevante nessas discussões» e, «ao nível da governação interna, estamos também a governar com sentido estratégico», acrescentou Pedro Marques, sublinhando que o Programa Nacional de Reformas (PNR) «visa responder aos principais desafios atuais e futuros».

O Ministro disse: «Entre os objetivos mais importantes do PNR, encontra-se a superação do défice de qualificações», donde, relevam «medidas como o Portugal INCoDe, que visa aumentar as competências digitais em 8% em 2020.

«Uma outra reforma estrutural e orientada para o futuro é a promoção da inovação na economia», afirmou Pedro Marques, lembrando programas como o Interface ou o Indústria 4.0

O Ministro destacou ainda «a aposta nos transportes coletivos, com a expansão dos metropolitanos e o plano de modernização ferroviária – o Ferrovia 2020 –, que contribui para a valorização do território, descarbonização da economia e eficiência dos recursos».

«Estamos também a preparar o futuro num horizonte mais vasto, iniciando a discussão das prioridades do País para 2030, tendo já auscultado os parceiros sociais e os mais representativos agentes económicos e sociais», afirmou Pedro Marques.

O Ministro disse: «As prioridades que propomos para o Portugal 2030 organizam-se em três metas horizontais – Inovação e conhecimento, Qualificação, formação e emprego, e Sustentabilidade demográfica».

Há depois cinco objetivos do Portugal 2030: Energia e alterações climáticas, Economia do mar, Redes e mercados externos, Sustentabilidade dos territórios de baixa densidade, e Desenvolvimento agrícola e florestal.

«Este é o tempo de aprofundar a discussão face aos objetivos do Portugal 2030, com uma abordagem ampla e aberta, que considere quais os desafios essenciais do País» sendo «da maior importância que essa reflexão envolva os agentes políticos, a Administração Pública e a sociedade civil», concluiu.

Todos os cidadãos podem enviar os seus contributos esta reflexão através do site criado pelo Governo para o efeito.


PUB