João Rodrigues envolvido num choque em jornada atribulada

Dia atípico prega partida aos principais favoritos.

Um dia para esquecer ou para mais tarde recordar”, é desta forma que se pode resumir a segunda jornada dos Campeonatos do Mundo de Vela, onde o madeirense João Rodrigues, na classe RS:X, participa com vista à qualificação para os Jogos Olímpicos de Londres 2012.

Hoje foi um dia muito difícil de gerir. Quando terminei não sabia bem se haveria de ficar feliz ou nem por isso”, refere o atleta. Num dia com duas regatas no campo central, os principais favoritos da prova, um dos quais João Rodrigues, foram obrigados a velejar em condições fora do previsto: “A largada da primeira regata foi feita muito dentro da baía, a escassos metros da linha de costa, com chuva a cair aqui e ali e o vento a reagir à mesma. Foi um verdadeiro quebra-cabeças fazer opções e a regata foi um espelho disso mesmo, com alguns dos favoritos a tirarem resultados fora dos dez primeiros. Aliado a isto, o campo estava ‘infestado’ de algas, o que pessoalmente, foi penoso de gerir. A organização, contrariamente ao prometido, não conseguiu ‘limpar’ o campo destas algas e isso dificultou imenso o andamento dos velejadores, pois ao ficarem presas no ‘fin’ da prancha, impossibilitam o normal andamento.”

Ainda assim, o velejador madeirense conseguiu largar bem na primeira regata e chegou a estar em terceiro da classificação mas no final da derradeira volta – foram três – entrou muita pressão do lado esquerdo e João Rodrigues foi apanhado de surpresa. “Infelizmente estava no lado contrário e acabei por perder preciosos postos, terminando essa regata em 10º e bastante frustrado”, resume.

Na segunda regata do dia, o atleta mais olímpico dos olímpicos nacionais já estava preparado para as condições adversas mas foi aí que voltou a ter um percalço sem culpa própria numa altura em que o vento subiu bastante, chegando aos 20 nós. “Um jovem coreano, visivelmente descontrolado e sem prioridade, chocou comigo arruinando-me ali essa regata. Ainda consegui recuperar algumas posições, mas o melhor que foi possível fazer foi terminar em nono lugar”, aponta João Rodrigues que, no entanto, consegue ver algo de positivo no incidente: “Tive muita sorte neste choque, pois dada a velocidade a que chocámos, poderíamos ter-nos magoado ou partido algo. Mas felizmente nada aconteceu.”

O segundo dia foi menos positivo para os homens da frente, que estão de olhos postos na qualificação para os Jogos Olímpicos de Londres 2012. João Rodrigues acabou por cair seis posições na classificação geral – é 13.º nesta altura – mas as distâncias são muito curtas para os homens das primeiras posições da tabela.

Este dia deixou um sabor amargo na boca, pois tenho bom andamento, mas por esta ou aquela razão, não estou a conseguir chegar um pouco mais à frente. No entanto, ainda falta muito campeonato. Estou muito motivado para fazer um bom resultado aqui e tenho de evitar alguns erros que fiz nestes dois primeiros dias para lutar pelos lugares cimeiros”, conclui o velejador nacional.

Na próxima madrugada cumprem-se mais duas regatas dos Perth 2011 ISAF Sailing World Championships, na Austrália.

[twitter style=”vertical” float=”left”] [fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

 


PUB