Associados da ACIF com mais vantagens

A ACIF assinou um protocolo com a empresa Bravaline, o qual prevê, entre outros serviços, a limpeza e desinfestação de condutas.

No sentido de alargar o âmbito de dotar os seus associados de mais-valias nas áreas de assistência técnica, de manutenção, limpeza e desinfestação dos equipamentos e condutas de ar condicionado, a ACIF-CCIM celebrou, ao início desta tarde, um protocolo com a empresa Bravaline.
Desta forma, o protocolo celebrado prevê a prestação dos seguintes serviços: inspeção; aspiração; desinfestação e limpeza dos equipamentos e condutas de ar condicionado e de exaustão/extração de fumos e vapores.
O referido protocolo prevê, ainda, a possibilidade da prestação em parceria de serviços de análise e monitorização da qualidade do ar em ambientes interiores e um vasto conjunto de parâmetros químicos e microbiológicos importantes para garantir a qualidade e segurança dos indivíduos em recintos fechados.
Para beneficiar deste protocolo, que tem a duração de cinco anos (renovável por iguais períodos), as empresas deverão ser obrigatoriamente associadas da ACIF e pertencer a um dos seguintes sectores: hotelaria; centros comerciais; hipermercados e supermercados; armazéns; e restaurantes.
Na assinatura do protocolo, o presidente da ACIF enalteceu o trabalho que a empresa Bravaline tem desenvolvido em áreas como a assistência técnica, manutenção, limpeza e desinfestação de equipamentos e condutas de ar condicionado.
“Este é um exemplo típico onde o sector privado está naquilo que à partida alguns poderiam entender que seria do sector público. Mas que claramente o sector privado entrou e demonstrou  que era capaz de fazer um serviço de qualidade e com custos muito mais vantajosos para o utente e neste caso para os associados da ACIF”, apontou Duarte Rodrigues.
Aquele responsável destacou, ainda, que o outro protocolo celebrado com a Bravaline, na área da recolha dos resíduos sólidos, também está a ter “enorme sucesso”, sobretudo junto dos associados da ACIF que desenvolvem a sua atividade no sector da hotelaria.
“Os benefícios que os nossos associados retiram deste protocolo, tendo em consideração os custos que tinham antes da celebração do mesmo, são  mais do que suficientes para pagar as cotas da ACIF. Ou seja, o simples facto de um hoteleiro ser associado da ACIF e beneficiar deste protocolo é também para ele um ganho financeiro, atenuando os custos das empresas neste período de grandes dificuldades”, concluiu Duarte Rodrigues.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

[twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest