Sacríficios são inevitáveis

Fernando Nobre considera que Portugal está numa ‘situação de pré-falência’.

O presidente da Assistência Médica Internacional (AMI) vê com grande preocupação a atual situação económica e social do país, mas reconhece que as medidas de austeridade que têm sido tomadas são inevitáveis, dado que “Portugal está numa situação de pré-falência, para não dizer de falência”.
“Já estive em muitas guerras e sempre que tive de fazer alguma imputação, devido ao arrebentamento de uma mina ou de uma bomba, fiz com muita dor, mas sabia que a tinha de fazer pois caso contrário as pessoas morreriam. Portugal está numa situação um pouco semelhante, ou seja estamos a ser obrigados a ser submetidos a cirurgias violentas, traumatizante, mas também não temos opção. Se não o fizermos daqui a um mês já não há dinheiro para pagar salários a ninguém e temos um país em bancarrota”, apontou Fernando Nobre.
Porém, o médico adverte que os esforços têm de ser equitativos, sendo que as medidas de emergência que foram tomadas devem se tornar em medidas estruturais, no sentido de levar Portugal para um patamar de desenvolvimento.
O responsável pela AMI apontou, ainda, que “todos devem ser cada vez mais solidários” uns com os outros. “Isto implica a colaboração dos governos, das autarquias, das empresas, das famílias e do cidadão comum”, observou.
Fernando Nobre falava esta tarde à margem da apresentação do seu novo livro intitulado “Um Conto de Natal”, a qual decorreu na FNAC Madeira.
Sendo o terceiro livro do presidente da AMI dedicado ao público infantil, a obra procura passar a mensagem de que o Natal é sinónimo de “solidariedade, de compaixão e de aproximação com o próximo”, atitudes que se exigem sobretudo “nos atuais tempos complicados que estamos a viver”, no país, na Europa e no mundo em geral.
“Um Conto de Natal retoma os valores da solidariedade e da amizade, por vezes tão esquecidos nestes tempos modernos, sendo a leitura ideal para uma ceia de Natal em família”, sublinhou Fernando Nobre.
Desta forma, a sinopse do novo livro de presidente da AMI é a seguinte: “Há muitos, muitos anos, viveu uma menina a quem nada parecia faltar. Mas, com a aproximação da noite de Natal, esta menina arruivada de olhos verdes e olhar melancólico percebeu que o mundo não se resumia ao luxo do solar onde vivia e que ela podia fazer a diferença na vida daqueles que sempre se habituara a avistar da varanda do seu quarto”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

[twitter style=”vertical” float=”left”]


PUB