Farmácias suspendem comparticipação de medicamentos

ANF mantém suspensão de venda a crédito de medicamentos. O corte entra em vigor a partir das 00h00 de segunda-feira.

A suspensão da venda a crédito de medicamentos na Madeira é para manter a partir das 00h00 de 9 de Janeiro. A decisão foi anunciada, pela vice-presidente da Associação Nacional de Farmácias (ANF) Maria da Luz Cequeira à saída da reunião com os representantes das 63 farmácias da Madeira que teve lugar esta tarde no Hotel Casino Park.

“Infelizmente é com bastante tristeza que efectivamente tivemos de tomar a decisão do corte de crédito aos beneficiários da Madeira da secretaria regional dos Assuntos Sociais a partir das 00h00 de segunda-feira. As farmácias que estiveram presentes nesta reunião assim o entenderam porque não temos condições para continuar a fornecer a crédito”, declarou a representante da SNS, acrescentando que as farmácias da Madeira esperam que esta seja uma situação transitória que a breve trecho terá resolução.

Questionada sobre o facto de haver famílias que terão grandes dificuldades em suportar o custo total de determinados medicamentos Maria da Luz Cequeira lamenta o facto, no entanto, responsabilizou o Governo Regional por essas situações.

“Essa deve ser a grande preocupação do Governo Regional. O governo quando foi eleito foi para assumir os compromissos para o qual foi eleito e as necessidades das famílias madeirenses são também da sua responsabilidade”, argumentou.

A vice-presidente da ANF adiantou ainda que associação foi contactada pelo GR para esperar até 31 de Dezembro “e nós esperamos até hoje dia 8 de Janeiro. Desde o fim do ano que não tivemos mais nenhum contacto da parte do GR”, explicou, sublinhando que a ANF esperou o tempo que lhe foi pedido.

Assim, a partir de amanhã os beneficiários do Serviço Regional de Saúde terão de solicitar diretamente ao Governo Regional da Madeira a comparticipação no preço dos medicamentos que, até agora, era descontada pelas farmácias no acto de compra.

Recorde-se que no início da semana, a ANF anunciou que iria deixar de garantir a dispensa de medicamentos a crédito a partir de dia 9 de Janeiro por incumprimento do executivo regional, que deve às farmácias, desde finais de 2009, 77 milhões de euros.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

 [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest