Farmácias regressam à normalidade (VÍDEO)

A suspensão da proibição da venda de medicamentos à credito fez com que muitas pessoas se deslocam-se esta tarde às farmácias para comprar medicação.

As farmácias da Região já estão autorizadas pela Associação Nacional de Farmácias (ANF) a vender medicamentos a crédito aos utentes do Serviço Regional de Saúde. Desde as 14h00 que às farmácias visitadas pelo CidadeNet, Farmácia de Santo António, Farmácia da Ajuda e Farmácia Almeida têm registado um aumento do número de utentes que aguardavam para que a situação fosse desbloqueada pelo Governo Regional que ao liquidar a dívida de quatro milhões de euros à ANF permitiu que os utentes pudessem ter, novamente, a comparticipação nos medicamentos.

Em declarações ao CidadeNet, Paulo Sousa da Farmácia de Santo António referiu que o movimento começou a sentir-se logo a seguir à hora do almoço com várias pessoas a se deslocarem à farmácia umas para aviar as receitas que tinham em casa e outras para pagar os medicamentos que a farmácia “emprestou na semana passada” para que o utente não pagasse os medicamentos na totalidade.

“Há sobretudo um sentimento de alívio nas pessoas que deixam de ter mais esta preocupação e penso que no decorrer desta semana o dia-a-dia das farmácias voltará a normalidade”, salientou o farmacêutico. Paulo Sousa frisou ainda que na semana passada foi uma semnana anormal nas farmácias muito pouco pessoas procuram os serviços das farmácias e as que foram foi por uma necessidade imperiosa. Em muitos casos as farmácias emprestaram a medicação

Também na Farmácia da Ajuda o movimentou aumentou ao início da tarde com vários idosos a aviar receitas e outros a irem confirmar se a situação da suspensão da venda de medicamentos a crédito já estava normalizada.

A maioria das pessoas que se deslocaram as farmácias não quis falar a nossa reportagem, no entanto, conseguimos constatar que muitos utentes foram aviar receitas por saberem que já tem comparticipação e outros foram pagar os medicamentos que pediram emprestado nas farmácias. Sem querer gravar alguns utentes admitiram que não tinham dinheiro para pagar os medicamentos na totalidade e estavam à espera que a “comparticipação dos medicamentos ficasse normalizada”.

 Veja o vídeo dentro de momentos.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

[twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest