Hotelaria: 600 trabalhadores com salários em atraso

Hoje foi a vez dos trabalhadores do Iate Vagrant iniciarem uma greve.

Os trabalhadores do Iate Vagrant iniciaram hoje uma greve, por tempo indeterminado.

“Aos referidos trabalhadores não lhes restou outra alternativa, na medida em que ainda não receberam os salários dos passados meses de Novembro e Dezembro e os subsídios de férias e de Natal”, disse Rui Fernandes, porta-voz do Sindicato de Hotelaria.

E a estas pessoas, que passam cada vez mais dificuldades, juntam-se muitas outras. Estima-se que, no Sector da Hotelaria, Turismo, Alimentação, Serviços e Similares, mais de 600 pessoas tenham os salários em atraso. “Estes são os números que conhecemos, mas outros têm medo das entidades patronais, são ameaçados de despedimento e, por isso, não reivindicam os seus direitos”.

Rui Fernandes disse que a crise económica não pode servir de desculpa para tudo. É certo que muitas empresas sentem dificuldades, mas uma maioria aproveita-se para explorar os funcionários. No caso do Iate Vagrant, e depois de uma reunião na Direcção Regional do Trabalho, nada foi resolvido.

“Os trabalhadores envolvidos nesta paralisação pedem desculpa aos clientes deste estabelecimento pelos incómodos resultantes desta greve, apelando à sua compreensão, conscientes, porém, que não poderiam permanecer mais tempo de braços cruzados perante a indiferença e a insensibilidade da entidade patronal”.

[twitter style=”vertical” float=”left”] [fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest