Jaime Ramos chama “colonial-facista” a Lopes da Fonseca

PSD dá a entender que vai votar contra o diploma do CDS.

O PSD ainda não anunciou a sua posição sobre a proposta de redução de 30% do “jackpot”, mas parece que a maioria não vai aceitar reduzir qualquer verba atribuída aos partidos. O líder da bancada social-democrata, Jaime Ramos, interpelou Lopes da Fonseca acusando-o de ser um “colonial-fascista”, que está na Madeira há meia dúzia de anos e não conhece a Região e desafiou os centristas a abdicarem de todas as verbas a que têm direito pelo “jackpot”.

Lopes da Fonseca ripostou, garantindo que o CDS cumprirá a promessa de, caso o diploma não seja aprovado, atribuir 30% das verbas a que tem direito para apoios sociais.

Neste momento, Savino Correia  fala há alguns minutos e esta a utilizar argumentos que dão a entender que a bancada laranja não vai abdicar das subvenções a que tem direito.

Savino lança o desafio ao CDS para abdicar da totalidade do “jackpot”, em vez de 30%.

[twitter style=”vertical” float=”left”] [fbshare type=”button”] [fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

 

Pin It on Pinterest