Região quer duplicar valor da produção agrícola

O objetivo é atingir, em 2020, os 200 milhões de euros em matéria de produção.

Manuel António considera que é necessário mudar estruturalmente a agricultura. “No fim deste quadro comunitário de apoio não podemos ter uma agricultura igual, ela tem de ser estruturalmente melhor”, apontou.

O secretário regional do Ambiente e dos Recursos Naturais afirmou, ainda, que o desafio é chegar até ao final da década com o dobro do produto agrícola da Região. “Neste momento, produzimos cerca de 100 milhões de euros e queremos chegar até aos 200 milhões”, observou.

No entanto, o governante refere que o referido crescimento, devido à exiguidade do território, não pode ser feito em quantidade. “Esse crescimento tem de ser em qualidade e na criação de valor acrescentado. Isso faz-se melhorando as técnicas, com formação na área e com investimento na mecanização”, indicou.

Manuel António Correia salientou ainda que para haver incremento da produção agrícola também é necessário produzir aquilo que faz falta. “Temos de produzir aquilo que normalmente é importado ou produzir aquilo que temos possibilidade de exportar”, defendeu.

O secretário regional do Ambiente e dos Recursos Naturais falava esta tarde no sítio da Fajã, freguesia do Arco da Calheta, onde esteve presente numa aula prática do curso de “Operador de Serviços Agrícolas”.

Destinado a adultos desempregados de longa duração ou beneficiários do Rendimento Social de Inserção, o referido curso é promovido pela Casa do Povo da Calheta, contando com cerca de dez formandos inscritos.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest